Browsing All Posts By admin

Loja

Trabalhamos com venda de produtos de caça e armamento, além de acessórios…..

VER MAIS +

Curso básico de armamento e tiro

Curso Básico de Pistola e Revolver Clube .40
Instrutor: Arcival Andrade
Duração: Aproximadamente 6 horas/Aula
Quantidade de Disparos: 40 de .380, 40 de .38
Alvos: Papéis
Conteúdo:
* Regras básicas de Segurança;
*Fundamentos de Tiro;
* Legislação aplicada;
* Violência urbana
* Conservação e limpeza do armamento.
Exercicios:
* Posição de Tiro;
* Empunhadura;
* Visada.
Datas:
Os Cursos Básicos de Tiro do Clube .40 ocorrem aos sábados, das 9 as 12 e das 13 as 16 hrs em datas a serem divulgadas em nossos canais de comunicação:
Pagina no Facebook: https://www.facebook.com/Clube-de-Ca%C3%A7a-e-Tiro-40RS-503337413096854/
WatsApp: 51 998212726
Email: ASRLoja.40@gmail.com
Geralmente ocorre um curso por mês, de acordo com as possibilidades dos instrutores e estrutura do clube.
Investimento:
R$650,00 em ate 3x nos cartões;
Vagas limitadas,  reservadas quando do efetivo pagamento do curso por parte do interessado;
Valores por pessoa;
Entre em contato, participe, treine tiro!

 

Ver mais + →

Como faço para praticar?

Quer praticar tiro conosco? Entenda como funcionamos:

Somos um espaço destinado exclusivamente à prática do tiro. Nossas instalações estão abertas ao público em geral: associados e/ou clientes eventuais, que chamamos de não-sócios. Não é necessário possuir arma de fogo própria para frequentar o Ponto 40. O Clube Ponto 40, além do espaço físico (estande), todos os equipamentos necessários para a prática esportiva.  Trabalhamos com duas tabelas de serviços e valores: uma para associados e outra para clientes eventuais (não-sócios). Todos os procedimentos de estande são acompanhados por monitores qualificados, para que seja garantida a total segurança na prática do tiro, ao praticante e aos demais usuários. Para ingressar às dependências do Clube, praticando o tiro ou não, as regras abaixo devem ser obedecidas:

  • Ter 18 anos completos;
  • Realizar um cadastro prévio na Secretaria do Clube, apresentando seus documentos pessoais originais e com foto (RG e CPF);
  • Preencher e Assinar o Termo de Responsabilidade, que é válido no exercício do ano;
  • É obrigatório o uso de material de proteção (disponibilizado pelo Clube) nos estandes.

Caso possua arma própria em seu nome, o praticante poderá utiliza-la em nossas instalações, desde que a arma esteja devidamente legalizada. Conforme determinação dos órgãos competentes (SFPC/Exército/Polícia Federal) é solicitada a todos os clientes a apresentação da documentação original do Registro da Arma de Fogo ou Guia de Tráfego da mesma, dentro do prazo de validade das mesmas. Não serão aceitos documentos fora de validade ou cópias. No caso da utilização de munições próprias, deverá ser apresentado o CR do Atirador, juntamente com a documentação acima.

 

 

bannerboton1

VER MAIS +

Legislação

Prezado Associado.

Esta seção dispõe das normas que regulamentam o uso e porte de armas de fogo, entre outros. Leia, imprima ou faça cópias das mesmas, pois é seu dever como cidadão.

OBS: Os arquivos estão em formato PDF

    • PORTARIA NORMATIVA DLOG 005 , DE 14 DE OUTUBRO DE 2007 Art. 12 – Aprova as Normas Reguladoras do Transporte de Produtos Controlados por meio do serviço postal. Art.22 – Revogar a ITA-07B/03. Art. 32 – Estabelecer que esta Portaria entre em vigor na data de sua publicação.
    • PORTARIA NORMATIVA Nº40/MD, DE 17 DE JANEIRO DE 2005 Define a quantidade de munição e os acessórios que cada proprietário de arma de fogo poderá adquirir
    • DECRETO Nº 5.123 DE 1º DE JULHO DE 2004 Regulamenta a Lei Nº 10.826, de 22 de dezembro de 2003, que dispõe sobre registro, posse e comercialização de armas de fogo e munição, sobre o Sistema Nacional de Armas – SINARM e define crimes.
    • LEI Nº 10.834 DE 29 DE DEZEMBRO DE 2003 Dispõe sobre a Taxa de Fiscalização dos Produtos Controlados pelo Exército Brasileiro – TFPC e altera dispositivos do Decreto Nº 24.602, de 6 de julho de 1934, que dispõe sobre instalação e fiscalização de fábricas e comércio de armas, munições, explosivos, produtos químicos agressivos e matérias correlatas.
    • LEI Nº 10.826 DE 22 DE DEZEMBRO DE 2003 Dispõe sobre registro, posse e comercialização de armas de fogo e munição, sobre o Sistema Nacional de Armas – Sinarm, define crimes e dá outras providências.

 

VER MAIS +

O que é TIRO PRÁTICO?

Historicamente a criação desta modalidade de tiro é atribuída ao ex-coronel da marinha norte-americana, de nome Jeff Cooper, que em 1956, estabeleceu critérios de regulamentos e uma forma de pontuação em que era dado mais valor, no alvo, aos tiros dados com a pistola .45 (maior potência) do que às de outros calibres. Logo em seguida, numa das competições, um atirador de nome Jack Weaver, espantou aos demais ao utilizar as duas mão para segurar a arma, vindo a ganhar a mesma, numa época em que o politicamente correto era segurar a arma com apenas uma das mãos, como no tiro olímpico. Tal mudança na empunhadura da arma talvez seja uma das principais características de diferenciação entre o tiro prático e o olímpico, além, é claro, do tempo de tiro, já que na primeira modalidade impera a velocidade de deslocamento e tiro, em distâncias variadas, e na segunda, o disparo é feito a uma distância padrão, sendo a precisão obtida pelo posicionamento correto do atirador, pela respiração controlada, empunhadura, visada, etc. Com o tempo essa modalidade não olímpica veio a ser administrada internacionalmente pela “International Practical Schooting Confederation – IPSC”, ou seja, Confederação Internacional de Tiro Prático. No Brasil o tiro prático engloba várias modalidades de tiro, como: IPSC, IPSC Light, tiro de rifle, silhueta metálica, saque rápido, NRA, etc. “Alvos múltiplos, alvos que se movem, alvos que reagem quando alvejados, penalidades ao alvejar alvos não permitidos misturados ou cobrindo parcialmentes os outros alvos, obstáculos, movimento, táticas de competição, e, em geral, qualquer outra dificuldade que o desenhista de pistas invente se combinam para manter o entusiasmo dos atletas e o divertimento dos espectadores. As regras da IPSC incentivam a diversificação das pistas para evitar que o esporte fique restrito a um determinado tipo de pista. De fato algumas competições possuem alvos escondidos que aparecem de repente sem que os atletas saibam da sua localização prévia. “Fonte: http://www.cbtp.org.br/ipsc.htm#IPSCRange Officer (árbitro) acompanha o atirador durante todo o percurso e manuseio da arma, o que confere plena segurança ao esporte. Conhecimento sobre as armas utilizadas, equipamentos,regulamentos e em especial sobre os quesitos de segurança, são imprescindíveis aos praticantes de qualquer modalidade do tiro prático.

Ver mais + →