Perguntas Frequentes

COMO POSSO ME TORNAR SOCIO DO CLUBE .40?

Para tornar-se sócio do Clube .40 basta que o interessado apresente documento de identificação com foto (preferencialmente CNH), e pague o valor da associação que refere-se a uma anuidade e custa R$ 550,00, valor que pode ser pago em ate 3x nos cartões. No dia útil posterior, após as devidas verificações, informaremos O interessado a respeito da efetivação da associação.

QUAIS AS VANTAGENS DE SER SOCIO?

Uma vez associado, o interessado paga preço a menor pela munição de treino (Sócios $2,50, não sócios $3,5), além de ter acesso direto ao estande de tiro durante o horário de funcionamento do Clube. Tem acesso as armas, além de participar das provas internas de tiro utilizando-se de material fornecido pelo Clube (Arma, munição, Cinto, coldre, porta carregador) para a pratica do Tiro esportivo.

QUAL O HORARIO DE FUNCIONAMENTO DO CLUBE?

De segunda a sexta das 9h as 12h e das 14h as 18:30h.
Sábados das 9h as 12h e das 13h as 15h. *** Verificar horários especiais aos Sábados.

QUAIS AS FORMAS DE ADQUIRIR ARMAS DE FOGO ATUALMENTE NO BRASIL?

Para aquisição de arma de fogo no Brasil existem duas alternativas:

NO EXERCITO

Para a pratica de Tiro esportivo, caça e colecionismo onde o interessado se torna “CAC”, é necessário solicitação junto ao Exercito e apostilamento junto ao SIGMA (Exercito).

>>O CAC pode solicitar guia de trafego, geralmente com a mesma validade do CR (Certificado de Registro), e poderá transportar suas armas e munições com o intuito da pratica do tiro ou da caça, desmuniciadas e descarregadas por todo o território nacional (NÃO SE TRATA DE PORTE!)

>> De acordo com a nova Portaria 28 do COLOG, é permitido ao atirador o porte de transito, destacando uma arma do acervo estando esta MUNICIADA no percurso entre casa-clube/clube casa. Frise-se que  uma arma MUNICIADA não esta CARREGADA, ou seja, o carregador estará inserido, mas não haverá munição na câmara, em se tratando de pistolas.

>>Para tornar-se CAC, o interessado precisa estar filiado a uma entidade de tiro, trata-se de uma exigência do Exercito. No Clube .40, a anuidade custa R$450,00, valor que pode ser pago em ate 3x no cartão.

NA POLICIA FEDERAL

Para a defesa pessoal e patrimonial

Onde a arma é utilizada exclusivamente para fim de defesa pessoal e patrimonial, e é neste segmento que se enquadram as armas destinadas ao porte federal de arma de fogo, ou seja, para que seja solicitado junto a PF o porte de arma, é necessário que o interessado já tenha uma arma devidamente registrada no SINARM (Sistema da PF).

>> O interessado pode solicitar junto a PF ate 3 guias anuais de transporte – ESSA GUIA NÃO AUTORIZA O PORTE, REFERE-SE TÃO SOMENTE AO TRANSPORTE DO ARMAMENTO –

>> Para pedido de porte, o armamento já deve estar previamente registrado na PF.

>> O armamento deve ficar no domicilio do proprietário, onde  “posse” significa possuir ou manter sob sua guarda arma de fogo, no interior de sua residência ou dependência dela ou em seu local de trabalho, desde que seja o titular ou o responsável legal do estabelecimento ou empresa.

O QUE É CERTIFICADO DE REGISTRO?

Certificado de Registro é o documento que capacita o interessado a pratica do tiro esportivo, caça e colecionismo.
Toda o tramite para a concessão de CR é despachada no Clube .40, segue a documentação necessária para a solicitação:

 

Uma foto 3×4

Copia simples da CNH.

Copia simples Comprovante de Residência (agua, luz ou telefone em seu nome)

Copia simples comprovante de trabalho (documento que comprove atividade licita)

Copia simples do titulo eleitoral

Procuração Publica (Retirar modelo no Clube)

 

*Exame pratico de tiro (pode ser feito no Clube, agendar no 51 992229440) Com Alex;

 

*Avaliação psicológica, onde o valor do laudo é repassado diretamente ao profissional credenciado. ***buscar profissional credenciado à PF no link abaixo:

 

http://www.pf.gov.br/servicos-pf/armas/credenciamento-psicologos/psicologos-crediciados/rio-grande-do-sul.

 

O valor aproximado para a solicitação de CR, fica em torno de R$1110,00. Trata-se de valor global, onde estão inseridos todos os custos para a juntada da documentação, incluindo avaliação psicológica e exame de tiro e associação ao Clube .40 (é uma exigência do exercito, que o interessado esteja associado a um clube de tiro).

 

Associação: R$450,00 (em ate 3x nos cartões)

Exame de Tiro: R$260,00

Exame Psicológico: Tratar direto com o profissional credenciado a PF;

Despacho da documentação: R$400,00

Total: R$1110,00 (Acrescentar valor do laudo psicológico, media R$150,00)

Para maiores esclarecimentos pedimos que compareça ao clube, se possível e havendo interesse, trazendo a documentação mencionada.

SIGMA X SINARM

SINARM – Sistema Nacional de Armas, vinculado a Policia Federal.

SIGMA – Sistema de Gerenciamento Militar de Armas, vinculado ao Exercito.

COMO POSSO TREINAR E PARTICIPAR DE COMPETIÇÕES ESTADUAIS?

O associado pode participar das competições internas do Clube, onde estas servem como treinamento para as competições a nível estadual conforme instruções da questão seguinte.

COMO POSSO ME TORNAR UM ATIRADOR?

Primeiramente o interessado deve solicitar o CR e adquirir armamento para a pratica de tiro esportivo. O treinamento para as modalidades ocorrem no próprio clube, onde o interessado tem acesso a todo o equipamento e instrução necessários. Após o devido treinamento e verificação das regras relacionadas as modalidades de tiro, por parte do interessado, este deve se associar a Federação Gaúcha de Tiro Esportivo, informações no site: http://www.fgtp.com.br/fgtp/. Depois de federado, o atirador já pode iniciar as atividades a nível estadual, conforme agenda disposta no site da federação.

É POSSIVEL TER ACESSO AO PORTE FEDERAL DE ARMA DE FOGO?

Sim, atualmente a categoria dos atiradores esportivos, cumprindo o interessado uma serie de exigências, recebe deferimento para as solicitações de porte a critério de segurança para o acervo e atividades relacionadas ao tiro esportivo.

PARA QUE SERVE UMA ARMA DE FOGO?

Impossível não citar o texto que mais expressa a sensação de liberdade, justiça  e igualdade proporcionado por uma arma de fogo utilizada corretamente. Não sabemos ao certo quem o escreveu, mas seguem as sabias palavras..

 

Os seres humanos têm apenas duas maneiras de lidar uns com os outros: por meio da razão e por meio da força.

Se você quer que eu faça algo por você, há duas opções: ou você me convence por meio de um argumento racional ou você recorre à ameaça de violência.

Toda e qualquer interação humana necessariamente recai em uma dessas duas categorias.  Sem exceção.  Razão ou força.  E só.

Em uma sociedade genuinamente moral e civilizada, as pessoas interagem exclusivamente por meio da persuasão.  A força não é um método válido de interação social.

Sendo assim, e por mais paradoxal que isso possa parecer para alguns, a única ferramenta que pode remover a força dessa lista de opções é uma arma de fogo pessoal.

E o motivo é simples: quando estou portando uma arma de fogo, você não pode lidar comigo por meio da força.  Você terá de utilizar apenas a sua razão e a sua inteligência para tentar me persuadir.  Portando uma arma de fogo, eu tenho uma maneira de neutralizar a sua ameaça ou o seu uso da força.

A arma de fogo é o único objeto de uso pessoal capaz de fazer com que uma mulher de 50 kg esteja em pé de igualdade com um agressor de 100 kg; com que um aposentado de 75 anos esteja em pé de igualdade com um marginal de 19 anos; e com que um cidadão sozinho esteja em pé de igualdade com 5 homens carregando porretes.

A arma de fogo é o único objeto físico que pode anular a disparidade de força, de tamanho e de quantidade entre um potencial agressor e sua potencial vítima.

Há muitas pessoas que consideram a arma de fogo como sendo o lado ruim da equação, a fonte de todas as coisas repreensíveis que acontecem em uma sociedade.  Tais pessoas acreditam que seríamos mais civilizados caso todas as armas fossem proibidas: segundo elas, uma arma de fogo facilita o “trabalho” de um agressor.

Mas esse raciocínio só é válido, obviamente, se as potenciais vítimas desse agressor estiverem desarmadas, seja por opção ou por decreto estatal.  Tal raciocínio, porém, perde sua validade quando as potenciais vítimas também estão armadas.

Essas pessoas que defendem a proibição das armas estão, na prática, clamando para que os mais fortes, os mais agressivos e os mais fisicamente capacitados se tornem os seres dominantes em uma sociedade — e isso é exatamente o oposto de como funciona uma sociedade civilizada.  Um bandido, mesmo um bandido armado, só terá uma vida bem-sucedida caso viva em uma sociedade na qual o estado, ao desarmar os cidadãos pacíficos, concedeu a ele o monopólio da força.

E há também o argumento de que uma arma faz com que aquelas brigas mais corriqueiras, as quais em outras circunstâncias resultariam apenas em pessoas superficialmente machucadas, se tornem letais.  Mas esse argumento é multiplamente falacioso.

Em primeiro lugar, se não houver armas envolvidas, todos os confrontos serão sempre vencidos pelo lado fisicamente superior, o qual irá infligir lesões e ferimentos avassaladores ao mais fraco.  Sempre.

No que mais, pessoas que acreditam que punhos cerrados, porretes, pedras, garrafas e cacos de vidro não constituem força letal provavelmente são do tipo que acreditam naquelas cenas fantasiosas que vêem nos filmes, em que pessoas tomam variados socos, pauladas e garrafadas na cabeça e ainda continuam brigando impavidamente, no máximo com um pouco de sangue nos lábios.

O fato de que uma arma de fogo facilita o uso de força letal é algo que funciona unicamente em prol da vítima mais fraca, e não em prol do agressor mais forte.  O agressor mais forte não precisa de uma arma de fogo para aniquilar sua vítima mais fraca.  Já a vítima mais fraca precisa de uma arma de fogo para sobrepujar seu agressor mais forte.  Se ambos estiverem armados, então estão em pé de igualdade.

A arma de fogo é o único objeto que é tão letal nas mãos de um octogenário em uma cadeira de rodas quanto nas mãos de um halterofilista.  Se ela não fosse nem letal e nem de fácil manipulação, então ela simplesmente não funcionaria como instrumento equalizador de forças, que é a sua principal função.

 

Quando estou portando uma arma, eu não o faço porque estou procurando confusão, mas sim porque quero ser deixado em paz.  A arma em minha cintura significa que não posso ser coagido e nem violentado; posso apenas ser persuadido por meio de argumentos racionais.  Eu não porto uma arma porque tenho medo, mas sim porque ela me permite não ter medo.  A arma não limita em nada as ações daqueles que querem interagir comigo por meio de argumentos; ela limita apenas as ações daqueles que querem interagir comigo por meio da força.

A arma remove a força da equação.  E é por isso que portar uma arma é um ato civilizado. Uma grande civilização é aquela em que todos os cidadãos estão igualmente armados e só podem ser persuadidos, jamais coagidos.

Não encontrou a resposta para sua pergunta?
Envie-nos sua pergunta pelo formulário abaixo e responderemos rapidinho.

1f447

Seu nome (obrigatório)

Seu e-mail (obrigatório)

Sua pergunta